Os reagentes existentes no mercado e utilizados nos laboratórios e nas indústrias apresentam impurezas em maior ou menor grau, resultantes do processo pelo qual foram obtidos.

As impurezas podem ser eliminadas (embora nunca 100%) por diversos processos de purificação, que conduzem a graus de pureza variáveis e adequados à utilização que se pretende dar ao reagente.

Quanto maior o grau de pureza, maior o custo.

Em relação ao grau de pureza os reagentes podem ser classificados como mostra a tabela a seguir.

 

Classificação dos reagentes

Utilização

Técnicos

(Insumo Químico)

Destinados a fins industriais correntes, com um grau de pureza não muito elevado.


Puros

Destinado a preparações laboratoriais correntes. Não são adequados a operações que envolvam técnicas especiais de análise.

Food Grade

(Grau Alimentício)

Destinado ao uso como aditivos intencionais na indústria de alimentos.


USP

(Insumo Farmoquímico)

(Grau Farmacêutico)

A sigla USP significa Unitet States Pharmacopeia (Farmacopéia dos Estados Unidos) e é atribuída a matérias-primas que podem ser utilizadas tanto para uso externo como para uso interno (podem ser ingeridas).

P.A.

(Para Análise)

Destinados a análises mais exigentes. Indicam teores máximos de impurezas.

Cromatograficamente Puros

Destinados a processos analíticos altamente sensíveis, como a cromatografia.

Indicam teores máximos de impurezas.

Espectograficamente Puros

Destinados à análise espectroscópica.

Possuem grau de pureza ainda superior aos anteriores.