A definição correta de sabão é a de um sal de ácido graxo, produzido pela reação de um álcali (ex.: hidróxido de sódio ou hidróxido de potássio) sobre óleos e gorduras naturais ou sobre ácidos graxos deles obtidos.

Apesar disso, o termo sabão é usado popularmente para designar vários outros tipos de agentes de limpeza.

Esta confusão também ocorre com o detergente que, a rigor, deve ser definido como tudo aquilo que limpa, ou como determina a legistalação brasileira, como o produto destinado a remover sujidades e gorduras e à higiene de recipientes e vasilhas e à aplicação do uso doméstico.

Portanto, por esta definação um sabão deve ser considerado como detergente. No entanto, popularmente o detergente sintético ou detergente significa um produto de limpeza doméstico que é baseado em surfactantes sintéticos em combinação com diversos ingredientes inorgânicos , tais como, fosfatos, silicatos, carbonatos, etc.

Surfactante

É um agente capaz de baixar a tensão superficial da água, facilitando assim as atividades de limpeza. Sabão é um agente sufactante e por isso há necessidade de diferenciar o detergente a base de sabão e o detergente sintético.

Os surfactantes são geralmente classificados de acordo com sua carga elétrica em três categorias:
∗ Surfactantes aniônicos .
∗ Surfactantes não–iônicos.
∗ Surfactantes catiônicos.

Surfactantes aniônicos

São compostos químicos caracterizados por um meio lipofílico, geralmente uma estrutura aquil ou aquil-aril e um meio hidrofílico ou polar, que possui carga negativa. Os principais são:
Sulfonatos Alquilbenzênicos: Incluem dois grupos principais.
- Derivados da cadeia aquil ramificada (ABS) → não são biodegradáveis.
- Derivados com cadeia linear (LAS) → São biodegradáveis (ex. ácido sulfônico, lauril sulfato de sódio).

Surfactante catiônicos

Agentes usualmente utilizados como desinfetantes ou germicidas, dos quais o grupo mais importante é o dos derivados alquil ou aril do cloreto de amônia.
Outros compostos incluem derivados do brometo ou sulfato de amônia e também compostos herecíclicos quartenários derivados da piridina, do imidazol e da isoquinolina.

Surfactantes não-iônicos

São geralmente produtos da reação de álcoois graxos ou fenóis alquilados com quantidades variadas de óxido de etileno. Os surfactantes não-iônicos são relativamente caros e por isso mais usados na formulação de cosméticos, medicamentos ou como aditivos em alimentos.

Quartenários de amônia

São compostos com cadeias alquídicas contendo de 12 a 16 átomos de carbono: cloreto de alquil-dimetilbenzilamônio; cloreto de di-alquil-metilbenzilamônio; cloreto de alquil-trimetilamônio; cloreto de di-alquil-dimetilamônio e cloreto de tri-alquil-benzilamônio.