1) Obtém-se uma solução muito eficaz para gravar estes metais de conformidade com a seguinte formula:
* Clorato de Potássio........................................ 15g
* Água............................................................... 1L
* Ácido Nítrico.................................................. 30 cm3

Dissolve-se o clorato de potássio na água e por fim se adiciona lentamente o ácido nitrico.

2) Outro ataque mais débil, especialmente para o cobre, obtém-se mediante a seguinte formula:
* Água.............................................................. 300cm3
* Cloreto Férrico............................................... 280g
* Sal comum..................................................... 140g

3) Os artigos de prata podem ser gravados com a solução composta de:
* Água............................................................. 130cm3
* Ácido Nítrico................................................. 30cm3

A operação para esta gravação dura 5 a 10 minutos, passados os quais se pode lavar o objeto e proceder à eliminação do revestimento de cera ou de tinta asfáltica sobre a qual se riscou.

4) Para gravar o alumínio usa-se a solução dos seguintes produtos:
* Soda cáustica................................................ 30g
* Água.............................................................. 500cm3

Agravação deve durar 5 a 10 minutos. Neste caso, como em geral em todos os outros, pode-se acelerar a gravação, sacudindo-se ou golpeando-se ligeiramente as peças, para que se desprendam do metal as bolhas formadas sobre ele.

Coloração do Cobre

Entre os metais técnicos, o cobre tem a propriedade de apresentar ligas de cores diversas: podem formar um óxido vermelho, um óxido preto, sulfetos de preto – pardo até preto – azul.

Assim, por exemplo, formam-se, pela aplicação  de permanganato de potássio, flocos de manganês de uma cor castanha ou marrom – escura. O nitrato de prata da um precipitado de óxido e de prata de cor castanho escura.

A melhor coloração obtém-se  galvanicamente. Com um banho preliminar de cobre podem-se conseguir as mesmas vantagens para todos os outros metais.

a) Coloração parda ou castanha.

Numa solução aquosa de 2% de sulfato de cobre e de 0.5% de permanganato de potássio, obtém-se rapidamente uma cor castanha ou parda. E, em soluções mais concentradas, a camada torna-se cinza, com aspecto fosco.Para o mesmo fim, pode-se usar outro banho, preparado da seguinte forma: uma solução de 12g de sulfato de cobre e 1,5g de permanganato de potássio em 100cm3 cúbicos de água é aquecida até 100º num recipiente apropriado de vidro, porcelana, louça ou ferro esmaltado.

Os objetos são movidos na solução quente até alcançarem à cor desejada. A duração será de 1a 15 minutos. A peça sai do banho com uma cor castanha, enquanto que a mesma surge preta, com aspecto fosco, depois da lavagem em água fria e secagem com um pano mole.

b) Coloração preta.

O processo mais conhecido é o do nitrato de cobre. A preparação do banho é a seguinte:

Dissolvem-se 600g de nitrato de cobre em 200 cm3 de água destilada e a esta solução se adicionam 2.5g de nitrato de prata, previamente dissolvido em 100cm3 de água destilada. A solução se aplica por meio de um pincel e os objetos se põem a secar em local aquecido. A peça aparecerá verde. Depois disto, a chapa se coloca em cima de uma chama, até que a camada se torne escura. Aplicação abundante da solução e tratamento repetido dá uma cor bem preta. Finalmente aplica-se uma camada protetora de cera ou óleo. Em virtude do forte aquecimento, este processo não é bom para objetos soldados com estanho.

c) Coloração prata sem brilho.

Uma lixívia de solda de 5% é aquecida até 100º num recipiente de vidro, louça ou ferro esmaltado. A esta solução se junta 1% de perssulfato de potássio pulverizado, e mergulham-se as peças, suspensas num arame.

Desenvolve-se o oxigênio. Os objetos devem ser movidos no banho quente até aparecer à cor preta, desejada, o que acontece, geralmente, dentro de 5 minutos.

Caso não se desprenda o gás até o fim do tratamento, adiciona-se novamente 1% de persulfato de potássio.
Depois disto, a peça é lavada em água fria e seca com pano mole.

d) Coloração Vermelha.

Funde-se nitrato de sódio numa bacia com ferro e aquece-se com fogo forte, até o começo da incandescência. Os objetos a serem coloridos são suspensos durante cerca de ½ minuto neste sal fundido. Depois disto jogam-se os mesmos em água fria: este resfriamento súbito permite o afastamento do nitrito aderido à peça.

e) Cobre velho.

Os objetos cobreados se tratam, preliminarmente, mediante a escova circular com raiz de saponáceo ou extrato de alcaçuz, e depois disto, lavados e coloridos de preto numa solução de 150 a 250g de flor de enxofre em 10 litros de água, com uma adição de 25 a 50g de amônia liquida. Trabalhando-se, depois, com pedra-pomes de granulação média e água, a camada escura é clareada. Pode-se empregar também uma solução de cianato de potássio ou de tártaro. Finalmente, lava-se  e escova-se, oura vez usando pedra-pomes; Porém sem água.

f) Emprego de águas diversas.

Entre as soluções aquosas empregadas na coloração do cobre, deve-se mencionar, ainda, as constantes das seguintes fórmulas:
* Acetato de chumbo......................................... 7g
* Hipossulfito de sódio...................................... 300g
* Água................................................................ 1L

Pode-se substituir o acetato de chumbo por sulfato de cobre. Outra fórmula consiste  numa solução fraca de sulfato de cobre, açúcar e soda cáustica. Outra ainda se prepara de acordo com a seguinte fórmula:
* Sulfato de cobre........................................... 7g
* Acetato de cobre.......................................... 7g
* Hipossulfito de sódio................................... 15g
* Água............................................................ 1L

Uma excelente solução para dar co azul ao cobre e ao bronze se obtém com os seguintes produtos:
* Hipossulfito de sódio.................................. 225g
* Acetato de chumbo..................................... 77g
* Água............................................................ 1L

Esta solução deve ser diluída em 2 litros de água, momentos antes de ser usada. Depois de aquecida, introduzem-se os objetos, agitando-os bem até que adquiram a coloração desejada. Para determinadas tonalidades será necessário levar o liquido ate a ebulição. De inicio se apresentará um a coloração amarela de ouro, que em seguida se tornará azul. A melhor temperatura para a obtenção da cor azul sobre o cobre por meio desta solução é 60º. Esta solução não dura muito tempo; Quando velha produz cores pouco uniformes.

Cobreagem

Na maioria das vezes os banhos para cobrear são usados como um preparativo para banhos posteriores, tais como para niquelar, pratear ou dourar, formando o cobre uma ótima camada intermediaria entre a camada e o metal básico.

Duas soluções podem ser empregadas:

As ácidas, à base de sulfato de cobre e as alcalinas, à base de cianeto. Um banho simples pode ser facilmente conseguido usando-se cianeto de cobre e potássio, os quais se encontram no comercio, aplicando-se a seguinte formula:
*Acetato de cobre em pó................................ 20g
*Bissulfito de sódio......................................... 20g
*Carbonato de sódio....................................... 20g
*Cianeto de potássio p.a................................. 20g
*Água.............................................................. 1L

O banho a cima deverá ser preparado da seguinte maneira:

Dissolve-se o carbonato de sódio em água, na proporção de 6 para 1, a uma temperatura de aproximadamente 40ºC. Acrescenta-se então o bissulfito de sódio que foi diluído em água, proporção de 10 para 1 aquecido quase no ponto de ebulição, sendo então acrescentada às soluções anteriores, mexendo-se ao mesmo tempo. O cianeto de potássio é colocado diretamente na solução anterior, mexendo-a ate completa dissolução, e ate que a solução que no momento era azul, tome uma coloração amarelo-clara.

O banho indicado poderá ser usado para todos os tipos de metais. A temperatura de trabalho será de aproximadamente de 40ºC, sendo a intensidade da corrente aproximadamente 0.5 ampares por dm2 e a tensão de tabelo de 3 a 3.5 volts. No caso de se preferir um banho ácido pode-se usar a seguinte fórmula, á base de sulfato de cobre:
* Sulfato de cobre............................................ 150g
* Ácido sulfúrico............................................... 50g
* Água.............................................................. 1L

O banho é fácil de se preparar, podendo ser feito tanto a frio quanto a quente, a não ser para o acido sulfúrico, que devera ser sempre dissolvido a frio. A intensidade da corrente a ser usada devera ser aproximadamente 0.8 por dm2 e a uma tensão de 2 a 3 volts.

Como variação da formula primitivamente aconselhada, à base de cianeto de cobre, pode-se usar a seguinte formula:
* Cianeto de cobre.......................................... 20g
* Cianeto de sódio.......................................... 30g
* Hipossulfito de sódio.................................... 300mg
* Carbonato de sódio...................................... 20g
* Água............................................................. 1L

Esta solução poderá ser preparada da mesma maneira que a anterior. A temperatura de trabalho será aproximadamente 35ºC, a intensidade de corrente 0.6 ampares por dm2 e a uma tensão 2.5 volts.
Como ânodo deve-se usar cobre eletrolítico quimicamente puro.

Douração do cobre e latão

1) Converte-se 10g de ouro puro em cloreto de ouro, tratando aquele por água régia. O cloreto objeto se dissolve em 1 litro de água destilada, a qual se junta 500g de carbonato de potássio e se faz ferver a mistura pelo espaço de 2 horas. Os objetos que se vão dourar se submergem neste banho  durante alguns segundos ou ate 1 minuto, segundo a energia do banho.

2) Começa-se por preparar nitrato de mercúrio, tratando mercúrio para acido nítrico e diluindo a solução obtida em água. Submergem-se primeiro os objetos que se vão dourar nesta solução e logo no liquido de dourar, que é uma solução de cloreto de ouro. O cobre dourado deste modo fica tão bem que resiste durante muito tempo a ação dos ácidos fortes. O mecanismo da operação consiste em que a camada de mercúrio depositada primeiramente sobre o cobre se dissolve na solução aurífera e em seu lugar fica depositada uma camada de ouro.

Coloração do latão

Obtém-se uma coloração preta dissolvendo-se 1 litro de amônia (amônia liquido), 200g de carbonato de cobre. A solução tem uma coloração azul-escura e deve ser conservada bem fechada. Tornando-se mordente mais fraco, durante o uso, pode o mesmo ser fortificado por adição de amônia, forte ou de carbonato de cobre. É vantagem porem preparar sempre somente a quantidade necessária para um trabalho determinado. Os objetos são mergulhados no mordente frio ou morno, e movidos continuamente. Sendo o mordente aplicado a frio, os objetos se colorem dentro de 1 a 4 minutos. Aplicando-se o mordente morno os objetos aparecem coloridos de preto - azulado depois de pouco segundos. O latão com excessivo conteúdo de cobre não se torna preto neste banho.

O amoníaco empregado deve ser muito forte (25% peso específico 0,9), o carbonato de cobre recém – precipitado (de uma solução de sulfato de cobre por meio de adição de solução de carbonato de sódio). Pode-se empregar naturalmente, amônia liquido mais fraco (10%, peso especifico 0,96)e 100 gramas de carbonato de cobre; Porém o efeito é menos forte e o mordente perderá as suas propriedades com mais rapidez.

Obtém-se uma coloração do lado parecido ao ouro dissolvendo-se 15g de hipossulfito de sódio em 30g de água;

Adicionam-se em seguida10g de uma solução de clorato de amônio que aquece-se até a efervescência. Depois disto filtra-se o precipitado vermelho, lavando-o várias vezes no filtro e repartindo-o em 2 ou 3 litros de água quente. Sob aquecimento adiciona-se tanta lixívia  de sódio concentrado quanto seja preciso para que se processe o dissolução completa. Nesta solução quente mergulham-se as peças até que apareçam as cores desejadas.

Uma coloração cinza se obtém, com uma solução composta de 20 g de tártaro emético, ácido muriático suficiente para a dissolução e água até a terceira parte do volume total.

Para a coloração castanha a peça é aquecida a 100ºC numa solução de 5% de hidróxido de sódio, num recipiente de vidro ou de ferro esmaltado. A esta solução fervente é adicionado 1% de persulfato de potássio, instantaneamente começa um desprendimento forte de oxigênio, formando inicialmente uma camada de óxido cuproso e logo em seguida uma camada de óxido de cuprico no latão. Surgem então cores que passam ao castanho e, finalmente, ao preto. O momento da coloração deve por isso ser bem fixado. Esta coloração é relativamente resistente contra soluções mecânicas.

Para a coloração azul, rosa, e preta emprega-se uma solução fervente dos seguintes produtos e proporções:
* Sulfato de cobre.............................................. 29g
* Hipossulfito de sódio....................................... 20g
* Tártaro............................................................ 10g
* Água................................................................ 250g

Os objetos mergulhados nesta solução aparecem primeiramente com uma cor rosa, em seguida azul e finalmente preta.

O instante da coloração desejada deve ser fixado pelo operador.

Bibliografia: Novíssimo Receituário Industrial - R. Argentièri – Ícone Editora

Esta é uma formulação apenas orientativa e não dispensa ao usuário o teste de eficiência antes da produção.