1) Converte-se 10g de ouro puro em cloreto de ouro, tratando aquele por água régia. O cloreto objeto se dissolve em 1 litro de água destilada, a qual se junta 500g de carbonato de potássio e se faz ferver a mistura pelo espaço de 2 horas. Os objetos que se vão dourar se submergem neste banho  durante alguns segundos ou ate 1 minuto, segundo a energia do banho.

2) Começa-se por preparar nitrato de mercúrio, tratando mercúrio para acido nítrico e diluindo a solução obtida em água. Submergem-se primeiro os objetos que se vão dourar nesta solução e logo no liquido de dourar, que é uma solução de cloreto de ouro. O cobre dourado deste modo fica tão bem que resiste durante muito tempo a ação dos ácidos fortes. O mecanismo da operação consiste em que a camada de mercúrio depositada primeiramente sobre o cobre se dissolve na solução aurífera e em seu lugar fica depositada uma camada de ouro.

Coloração do Latão

Obtém-se uma coloração preta dissolvendo-se 1 litro de amônia (amônia liquido), 200g de carbonato de cobre. A solução tem uma coloração azul-escura e deve ser conservada bem fechada. Tornando-se mordente mais fraco, durante o uso, pode o mesmo ser fortificado por adição de amônia, forte ou de carbonato de cobre. É vantagem porem preparar sempre somente a quantidade necessária para um trabalho determinado. Os objetos são mergulhados no mordente frio ou morno, e movidos continuamente. Sendo o mordente aplicado a frio, os objetos se colorem dentro de 1 a 4 minutos. Aplicando-se o mordente morno os objetos aparecem coloridos de preto - azulado depois de pouco segundos. O latão com excessivo conteúdo de cobre não se torna preto neste banho.

O amoníaco empregado deve ser muito forte (25% peso específico 0,9), o carbonato de cobre recém – precipitado (de uma solução de sulfato de cobre por meio de adição de solução de carbonato de sódio). Pode-se empregar naturalmente, amônia liquido mais fraco (10%, peso especifico 0,96)e 100 gramas de carbonato de cobre; Porém o efeito é menos forte e o mordente perderá as suas propriedades com mais rapidez.

Obtém-se uma coloração do lado parecido ao ouro dissolvendo-se 15g de hipossulfito de sódio em 30g de água;

Adicionam-se em seguida10g de uma solução de clorato de amônio que aquece-se até a efervescência. Depois disto filtra-se o precipitado vermelho, lavando-o várias vezes no filtro e repartindo-o em 2 ou 3 litros de água quente. Sob aquecimento adiciona-se tanta lixívia  de sódio concentrado quanto seja preciso para que se processe o dissolução completa. Nesta solução quente mergulham-se as peças até que apareçam as cores desejadas.

Uma coloração cinza se obtém, com uma solução composta de 20 g de tártaro emético, ácido muriático suficiente para a dissolução e água até a terceira parte do volume total.

Para a coloração castanha a peça é aquecida a 100ºC numa solução de 5% de hidróxido de sódio, num recipiente de vidro ou de ferro esmaltado. A esta solução fervente é adicionado 1% de persulfato de potássio, instantaneamente começa um desprendimento forte de oxigênio, formando inicialmente uma camada de óxido cuproso e logo em seguida uma camada de óxido de cuprico no latão. Surgem então cores que passam ao castanho e, finalmente, ao preto. O momento da coloração deve por isso ser bem fixado. Esta coloração é relativamente resistente contra soluções mecânicas.

Para a coloração azul, rosa, e preta emprega-se uma solução fervente dos seguintes produtos e proporções:
* Sulfato de cobre..............................................29g
* Hipossulfito de sódio......................................20g
* Tártaro............................................................10g
* Água...............................................................250g

Os objetos mergulhados nesta solução aparecem primeiramente com uma cor rosa, em seguida azul e finalmente preta.

O instante da coloração desejada deve ser fixado pelo operador.

Bibliografia: Novíssimo Receituário Industrial - R. Argentièri – Ícone Editora

Esta é uma formulação apenas orientativa e não dispensa ao usuário o teste de eficiência antes da produção.